quinta-feira, 29 de setembro de 2011

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

O hamster chinês




O hamster chinês também conhecido como anão russo surgiu na região norte da China e em algumas partes da Mongólia, essa espécie de hamster é muito fofa ao contrário do hamster sírio (não que o sírio não seja fofo porén ele é mais territorialista). A raça convive bem com outros de sua espécie, seja do mesmo sexo ou de sexos distintos (sei disso porque aqui em casa tem duas fêmeas que vivem juntas), desde que todos eles se conheçam desde pequenos, tipo irmãos. Já na gravidez as meninas podem se mostrar bastantes agressivas, o que torna necessário um lugar onde os machos, os perseguidos possam se refugiar o pai é que faz o parto, portanto é melhor deixá-lo com a fêmea e depois do nascimento do pirralhinhos separá-los. Como é são animais noturnos, assim como as outras espécies, eles podem continuar ativos durante períodos ao longo do dia. Talvez eles tentem (ou pior, consigam) passar pelas grades das gaiolas comuns de hamsters, é indicado alojá-los em gaiolas específicas (aquelas com grades mais próximas) ou em aquários. Mostram-se ótimos animais de estimação, contudo não os solte no chão nem deixe que ele escape, pois é muito difícil recapturá-lo.Lembres se de que eles se reproduzem com freqüência então se optar por um casal assuma as responsabilidades sobre os filhotes. Eles pesam de 38 a 46 gramas quando adultos e sua expectativa de vida são de 2 a 2,5 anos, já sua gestação dura mais ou menos 21 dias.

Lucas Phelipe

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Independência do Brasil


Gente é dia da Independência do Brasil,dia de comemorar!!

A favela dos cães




A ONG que se localiza em Caxias do Sul, São Paulo, e existe há trezes anos funciona numa chácara com 1,5 hectare, nelas ficam espalhadas várias casinhas às vezes improvisadas, juntas trouxeram ao lugar a fama nacional e internacional de “Favela de Cachorros”. A ONG que conta com o apoio de vinte voluntários não faz restrições para os animais que chegam ao abrigo, em grande parte dos casos, chegam doentes ou atropelados, assim passam por tratamento com veterinários, são medicados, castrados e identificados. Além do comprometimento de seus idealizadores e voluntários o projeto se apoia na lei federal 4.645, para fazer valer a responsabilidade do governo em custear os animais(o que nem sempre acontece em outros abrigos...).Todo o dinheiro pago pela prefeitura de Caxias do Sul mantém o funcionamento do projeto, pagando dez funcionários, um veterinário e auxiliando na compra de 14 toneladas de ração, que alimentam mensalmente quase 1800 animais. O município ainda disponibiliza o terreno onde está localizado o abrigo.
No site da ONG (www.soama.org.br) são postas as fotos dos animais do abrigo e instruções para quem deseja adotar ou doar e ajudar a continuidade do projeto.Vale a pena !!!!
Por Lucas Phelipe